Carne Barrosã DOP e Mel de Barroso DOP novamente galardoados em 2019

Os produtores de Carne Barrosã DOP e de Mel de Barroso DOP estão mais uma vez de parabéns, já que o júri de avaliação do concurso inglês Great Taste renovou, a ambos, as três estrelas concedidas unicamente aos produtos de exceção.
É sem dúvida motivo de enorme satisfação.

Pelo quarto ano consecutivo, tantos quantas as participações neste concurso, os produtos com Denominação de Origem Protegida cuja gestão e comercialização foram confiados pelo estado português à Cooperativa Agrícola de Boticas, são medalhados com a máxima distinção, recebendo rasgado elogios dos diversos jurados.
Atendendo ao rigor imposto pelos jurados e à necessidade imperiosa das opiniões dos mesmos estarem em perfeita sintonia, bem como à obrigatoriedade de confirmação, através de nova prova e classificação, no caso da obtenção de 3 estrelas na primeira prova, consideramos ser altamente prestigiante para os produtores, para os produtos, para o Agrupamento de Produtores e para a região, a conquista de tão distintas medalhas.
Também em 2019 a Carne Barrosã foi novamente premiada com a Medalha de Ouro no Concurso Nacional de Carnes Tradicionais Portuguesas com Nomes Qualificados e o Mel de Barroso foi premiado com a medalha de bronze no concurso nacional de méis, eventos que decorreram no CNEMA, em Santarém.
É sem dúvida um estímulo enorme para todos quantos contribuem, ao longo de toda a cadeia produtiva, para a presença da Carne Barrosã DOP e do Mel de Barroso DOP nos pontos de venda dos melhores talhos, lojas, distribuidores, restaurantes, entre outros.
Para o consumidor é também uma garantia inequívoca do valor e da confiança que tais produtos garantem, proporcionando experiências gastronómicas de elevado requinte e prazer.
Bem hajam todos os nossos produtores e a AMIBA – Associação dos Criadores de Bovinos de Raça Barrosã – que preservam os espaços rurais e a arquitetura de montanha e perpetuam atividades completamente sustentáveis que garantem a biodiversidade, promovem o povoamento humano nas zonas desfavorecidas, contribuem para a bioeconomia e reduzem o efeito da pegada ecológica das zonas densamente povoadas.